Afiadas

Cinco amigas cheias de criatividade e pontos de vista diferentes.

13 Coisas que Aprendi sendo Mãe de Buldogue

bulldog mom 2

Amo ser mãe do Babaganoush, o melhor filho do mundo! Amo sentir meu amor de mãe crescer, evoluir e se multiplicar. E amo aprender com meu filho… e eu já aprendi muita coisa. Antes de fazer parte da Bulldogada Carioca (grupo de pais e mães de buldogues) eu achava que várias das manias do Baba eram próprias dele. Contudo, após o convívio com outros buldogues, aprendi que muitas idiossincrasias dele são, na verdade, próprias da raça buldogue inglês. Queria dividir algumas delas com vocês.

  1. Eles praticam “Doga” (Yoga + Dog)

Se você acaba de receber seu filho adotivo na sua casa, se prepare. Já já ele irá praticar “downward facing dog,” estilo buldogue inglês. Patas fronteiras esparramadas no chão e patas traseiras esticadas, derrière nas alturas. Às vezes eles começam a se espreguiçar, com a intenção de deitar no chão e param na metade do processo, fecham os olhinhos e dormem naquela posição mesmo.

  1. Passear? Só à la mode!

Meu filho ama passear… de carro! Patas na rua? Ele faz cara de nojo. Usar coleira? Ele se esconde debaixo da mesa. Conheço buldogues que amam passear na rua, mas eles sempre têm alguma mania, especificação, enfim, alguma exigência que torna o passeio do jeito deles. Não pense que eles serão como os outros cães que ficam felizes com qualquer passeio. Buldogues são difíceis de agradar.

 

  1. Uma respiração diz muito

Quando meu filho ainda era bebê, eu acordava no meio da noite para ver se ele estava respirando, de tanto medo de que eu tinha dele não estar bem. Essa fase passou – ou ao menos melhorou significativamente – , mas todo pai de buldogue sabe que é preciso ficar atento à respiração deles. Inalação difícil? Atenção! Língua para fora, expiração profunda? Hora de diminuir a temperatura do ar condicionado. Ele está ofegante? Redobre os cuidados. E toda mãe de buldogue tem a explicação na ponta da língua: eles são braquecefálicos, podem ter intermação facilmente e correm risco de ter hipertermia, , entre outros milhares de blá blá blás técnicos, mas a forma mais fácil de explicar é: meu filho é sensível e eu preciso ficar atenta a todo momento.

  1. Shakira, quem?

É o seguinte: o rebolado deles é incomparável. Pense na Shakira, na sua rainha da bateria favorita, na bailarina do ventre mais talentosa do mundo. Pense no gingado carioca, no balanço da garota de Ipanema indo em direção ao mar. Pensou? Então, se você tem um buldogue em sua vida, você sabe que eles tem mais requebrado do que qualquer uma dessas pessoas. Muito, muito mais! Como diria a Meghan Trainor, “all the right junk in all the right places”.

  1. O susto vem do nada!

Meu filho não tem medo de nada. Peraí, pausa para rir. O Babaganoush já teve medo de uma pequenina cesta de palha, mala de viagem, boia de piscina, inseto esquisito (confesso que nesse último caso eu também estava apavorada), enfim, as coisas mais inusitadas os assustam. E aí eles cismam. Ah, suas cismas…

  1. Independência unilateral

 

O Baba detesta ficar sozinho. Quando eu pego minha bolsa ele já começa a me olhar com cara de bebê abandonado. Basta meu marido anunciar que vai correr na Lagoa para ele iniciar a chantagem emocional mais eficaz do mundo, com direito a olhar jururu e choro. Mas às vezes, quando estamos todos em casa deitados no sofá (programa favorito dele), o Baba decide descer as escadas e ficar no segundo andar sozinho. Isso mesmo, sozinho. Já fui espiar o que ele vai fazer por lá. Às vezes ele se diverte com algum brinquedo, ou cheira alguma plantinha ou vai conversar com o vizinho. Às vezes ele bebe água (ele tem água gelada e fresca no quarto, mas por algum motivo decide que prefere a do outro pote), ou dorme na poltrona ou simplesmente passeia pela sala. O tempo de duração desses momentos solos é sempre curto, curtíssimo, aliás. Mas é algo que todo buldogue valoriza. De vez em quando eles gostam de ficar sozinhos. Mas por escolha deles, é claro.

  1. Volte a dormir, Seu Galo

Se eu acordo ao meio-dia, ele acorda ao meio dia. Se eu acordo às 7 da manhã ele levanta mal humorado, irritado, inconformado…E volta a dormir. Eles têm picos de energia intensos, mas são extremamente dorminhocos. Ao desavisados: não pense que isso significa que eles não precisam de estímulo físico porque eles precisam, sim. Mas, novamente, do jeito deles.

  1. Eles pensam que são poodles

Imagine a mulher mais delicada que você conhece. Agora, imagine ela sentando num sofá de uma casa que tem um buldogue. Adivinhe o que estará em cima dela em poucos segundos? Sim, o próprio! Essa cena acontece na minha casa o tempo todo. Buldogues pensam que são poodles ou shit-zus ou alguma outra raça pequenina e leve. E é claro que eles não são. Buldogues pesam entre 20kg e 30kg (alguns até mais!). Mas eles também são irresistíveis, então uma marca registrada de um pai de buldogue é ter hematomas e cicatrizes coloridos espalhados pelo corpo. Love hurts!

  1. Eles falam

Não falam português, ou outra língua dominada pelo homem, mas falam. Quando chega perto da hora do meu marido chegar em casa, meu filho começa a reclamar. Quando ele quer algum brinquedo que está num lugar alto, ele pede (comigo não muito educadamente, mas ele é cheio de boas maneiras com o pai). Se ele está com desejo de tomar suco ou água de coco, ele aponta e resmunga (existe um grunhido específico para o suco). Tem também um momento do dia que ele bate papo com o vizinho, um Cocker Spaniel lindo. Como diria minha avó, inteligente é ele que aprendeu algumas palavras da nossa língua. E nós que ainda não aprendemos nenhuma da dele?

  1. Não é uma britadeira…

É um ronco! Se você acaba de adotar seu filho, prepare-se porque nada se compara ao ronco deles…

  1. Sangue de felino

Independentes, exigentes, pensam que são leves… como vocês podem ver, há um pouco de gato dentro de todo buldogue. Eles não são fáceis de agradar como tantos outros cachorros, não se contentam com qualquer coisa. É preciso conquistar o amor de um buldogue. Mas, depois de conquistado, a lealdade deles é eterna.

  1. SNUGGLE!

Meu marido e eu temos uma palavra para dormir abraçadinho: snuggle. E desde que nosso filho entrou em nossas vidas, queremos dormir abraçadinhos com ele também. Como eles são muito carinhosos, imaginamos que seria fácil, certo? Errado! Eles amam snuggle, mas nos termos deles. A posição tem que ser a que ele escolheu, o lado da cama o de preferencia dele, ele tem que estar encostando em mim e no meu marido ao mesmo tempo e aí de quem decidir mexê-lo no meio da noite. Ele vai acordar de mau humor, irritado e chateado! Quando está muito calor é melhor nem tentar abraçá-lo porque ele vai levantar, protestar com um grunhido sonolento e mudar de lugar.

  1. Nem adolescente…

Não existe ser mais teimoso do que um buldogue. Se eles cismam com algo, não largam de jeito algum. O brinquedo favorito do Baba é um barril super velho e eu já tentei substituir o brinquedo um milhão de vezes por outros novos, mais divertidos e interessantes, mas é claro que não consegui. Ele ainda faz questão de ter os brinquedos novos, mas não larga o barrel dele por nada nesse mundo. O mesmo vale para qualquer outra mania dele. Se ele quer algo, ele o terá! Em inglês, existe, inclusive, uma palavra criada em homenagem a eles: bulldogged. Use-a quando você for descrever tenacidade elevada à máxima potência.

Escrito e publicado por Fernanda Cecília

***Se você possui os direitos autorais sobre qualquer imagem e deseja que elas sejam removidas deste blog, por favor entre em contato.***

Anúncios

3 comentários em “13 Coisas que Aprendi sendo Mãe de Buldogue

  1. Leila Giribola
    21 de abril de 2015

    Adorei o seu texto…estou com um filhote de 4 meses e eu que nunca gostei de ter um cachorro na minha casa estou apaixonada. Mas agora ele está soltando tanto pelo que estou desesperada…e lendo o texto na parte de dormir com ele parece para mim algo longe de acontecer. É normal essa queda de pêlo? Obrigada

    Curtir

    • Fernanda Cecília
      21 de abril de 2015

      Oi Leila,
      que bom que vc gostou! A queda de pêlos é SUPER normal. São justamente os cachorros de pêlo curto que mais perdem pelo. Minha casa fica coberta de pêlos do meu filho, a ponto de ter varrer várias vezes ao dia. Beijos!

      Curtir

  2. valeria
    19 de fevereiro de 2016

    Adorei o texto . E assimm mesmi que acontece rsrs o meu e um Bull francés.mas, parece que foi escrito pra ele rsrs. Amei.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 28 de janeiro de 2015 por em Ponto de Vista.
%d blogueiros gostam disto: