Afiadas

Cinco amigas cheias de criatividade e pontos de vista diferentes.

Bolhas!

Não sei ao certo o que diz a etiqueta mas, de acordo com a etiqueta Didi, deveria ser proibido encostar nas pessoas para falar.

Quantos de nós já passou pela situação de um ser ” humano” só conseguir manter uma conversa se estiver encostando no seu braço, uma das mãos, ou ombro? Ou se deparar com pessoas que não pedem licença e apenas dão uma cutucada?

Poucas coisas me provocam tanta ojeriza quanto isso. Acho uma completa invasão do meu espaço.
Tenho por costume, quando estou conversando olhar nos olhos das pessoas, isso demonstra a minha total atenção ao que está sendo dito. Evito, inclusive, deixar o  celular próximo para não cair em tentação e olhar meu zap zap, emails, etc…

Então precisa encostar em mim? Desde quando a pele leva até o cérebro um receptor de som?

Você quer passar, mas a pessoa está bloqueando. Não cutuque, peça licença , fale um pouco mais alto e firme. A pessoa irá escutar e abrirá passagem. Se for um ogro e continuar atravancando o caminho é melhor ficar agradecido de não ter encostado nessa criatura.

E as pessoa com problemas nas glândulas sudoríparas que transpiram rios pelas mãos? Imagina que alegria se ela resolver conversar com a mãozinha melequenta no seu antebraço? Delicia!

E os que te dão tapinhas? Bom, pelo menos eles acham que são tapinhas! Para mim é lesão corporal leve, e dependendo rola até um IML.
Eu confesso que tenho as minhas frescuras, mas não considero essa, especificamente, uma. Acho inclusive higiênico, levando em consideração a quantidade de vírus, bactérias e “sei lá eu Deus” mais o que são transmitidos pelo toque, que se respeitem os espaços das outras.

Por isso, aproveito para sugerir que cada um de nós respeite o espaço físico do outro como se todos estivessem envoltos em uma bolha.

Assim, em uma conversa normal, passados os obrigatórios cumprimentos, em que se permitiria uma intercessão das bolhas, aquele espaço dentro dela deve ser absolutamente respeitado, como se tivesse sido lacrado.

Não quero que vocês achem que eu sou contra o contato físico. Abraços amigos, dar um beijo estalado num primo pequeno, fazer um cafuné num amigo triste, é uma coisa. Outra bem diferente é ficar conversando e segurando uma pessoa como se ela fosse fugir a qualquer momento da conversa, se você pensa que realmente ela seria capaz de fazer isso é porque o assunto é insuportável. Agarrá-lo só aumentará o desespero do pobre coitado.

Então por favor, respeitem a minha bolha.

Não existe a menor possibilidade de eu não respeitar a sua!

Didi Vasconcelos

***Se você possui os direitos autorais sobre qualquer imagem e deseja que elas sejam removidas deste blog, por favor entre em contato.***

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 26 de janeiro de 2015 por em Desabafo.
%d blogueiros gostam disto: