Afiadas

Cinco amigas cheias de criatividade e pontos de vista diferentes.

Exposição Condessa de Barral: cartas e imagens

Um bom programa para quem quer fazer um passeio gastronômico e cultural é o Centro do Rio. Minha recomendação é começar pela livraria Arlequim no paço imperial, onde há maravilhosos livros e cds, a seguir, um almocinho no restaurante Cais que fica pertinho do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) e depois, é claro, uma visita a Exposição Condessa de Barral: cartas e imagens que está no quinto andar do CCBB.

Imagem 050A

“Essa exposição trata de Luíza Margarida Portugal de Barros, a Condessa de Barral, que foi uma mulher que viveu o esplendor e o declínio de uma época, o Brasil do segundo Reinado.  Nascida na Bahia, no engenho pertencente ao seu pai, o Visconde de Pedra Branca, estudou na França, casou com um homem de sua própria escolha, o Visconde de Barral, e frequentou os salões parisienses com desenvoltura e admiração de seus contemporâneos.

Com fama de brasileira culta e adaptada aos códigos da nobreza na Corte de Luís Felipe, tornou-se aia da Princesa de Joinville, irmã de D. Pedro II, integrando-a na alta sociedade francesa. Os anos vividos como dama de honra da Princesa Francisca, foram decisivos para a indicação de Luíza Margarida, em 1856, para ser aia das herdeiras do trono do Brasil, Isabel e Leopoldina.

Na função de aia das Princesas, Luíza Margarida Portugal de Barros imprimiu um estilo próprio e marcou uma época, exercendo forte influência sobre o Imperador, que a considerava extremamente inteligente e culta, e sobre a Princesa Isabel, a quem educou e supervisionou em seus estudos e mestres contratados, não perdendo de vista que seu objetivo era a formação daquela que viria a governar a nação brasileira.

Participando ativamente do cotidiano dos soberanos, a Condessa de Barral ─ título que obteve após a morte do sogro ─ viveu em estreita relação com a Família Imperial brasileira, desde a infância das Princesas até o exílio de D. Pedro II, na França, quando a família exilada torna-se, também, hóspede da Condessa no castelo de Voirón.”*

Ao final da exposição tome um café no Bistrô e desça pela mostra da Ouro da H Stern, um luxo!!!!!!!

Didi Vasconcelos

*Texto: Maria Celi Chaves Vasconcelos

***Se você possui os direitos autorais sobre qualquer imagem e deseja que elas sejam removidas deste blog, por favor entre em contato.***

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 24 de novembro de 2014 por em Dica Afiada.
%d blogueiros gostam disto: